sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Talvez ela quisesse algo mais.

Mesmo com todos os olhares voltados para ela, todos os amigos e cartões recebidos, todas as cantadas e companhias, havia naquele rosto angelical um olhar vazio. Não se sabe bem o motivo, mas não era apenas um olhar. Era uma sensação de fome, como um lobo a procura da caça. Ela queria, ela desejava sangue. Talvez todas aquelas pessoas ao seu redor, todas as risadas na mesa do jantar e os cartões de presente não fossem suficientes para ela. Havia algo de errado. Era incomum mesmo com todos os caminhos que levavam para o ‘perfeito’, era incrontrolável. Seu corpo pedia por mais, suas veias pulsavam, era fácil perceber a agitação do sangue, aqueles olhos a espreita. Já não havia mais vontade de fugir. ela procurava por algo que fosse diferente, inovador, perverso. Eles davam a ela coisas encantadoras, que todo mundo sempre sonhou ter. Mas ela não ligava. Isso não alimentaria sua sede, sua fome e desejo. Decidiu por si só tentar a sorte e procurar. No meio do caminho ela experimentou doces saborosos, picantes, venenosos… Alguns fizeram mal, mas ela não ligava, aprendeu como lhe dar com eles. Era só mais alguns e passaria. Mas com o tempo, eles não matavam mais sua fome, ela queria mais. Tinha a certeza de que não havia encontrado ainda alguma coisa que fizesse sentido, que a preenchesse por dentro. Então em uma noite fria ela decidiu sair. Correu o mais longe que pode, era assustador, era delicioso. A sensação de liberdade passando entre seus cabelos, batendo de frente com seu rosto, palpitando em seu peito. Era a sensação que ela não tinha antes, mas ela queria mais. Voou para longe, conheceu o desconhecido, soube cair e se reerguer depois das batalhas.

Num certo dia ela se cansou da liberdade, cansou de sentir o gosto dos venenos que antes a agradavam tanto. Um certo dia ela amadureceu. Achou que precisava de mais, mais e mais. Bem mais do que toda a liberdade que ela tinha. Ela então partiu novamente, procurando o que ainda não tinha nome. Meses de busca e resolveu desistir. Sentada no canto de uma mesa na taberna, seus olhos seguraram algo que ficava cada vez mais perto, seu coração palpitava cada vez mais rápido. Ele parou em sua frente, educadamente se apresentou à ela. E ela soube então, o nome da ‘coisa’ que procurou tanto, por tanto tempo, pela primeira vez.







quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Criança: Eu acho o amor de Deus tão lindo, me lembra muito o sol, que é gigantesco, nos aquece e traz a luz.

Adulto: Quando o sol traz a luz, ele traz a sombra tambêm não traz?
Criança: Traz sim, mas, eu te faço um desafio: Olhe para a sombra e me diga o que sente.
Adulto: Nada, simplesmente nada.
Criança: Então olhe para o sol, e me diga o que sente.
Adulto: Não consigo fixar meus olhos, é muita luz.
Criança: Por isso vejo o sol como o amor de Deus, porque ele é tão luminoso que a sombra fica com inveja e se dispõe facilmente a nossos olhos. A sombra é como o pecado, é fácil olhar pra ela e ir para ela mas, e o sol, é como a glória de Deus, é tão luminosa que é difícil de se ficar olhando e admirando.

Quando a pessoa que você costuma chamar de amigo se torna um estranho, dói né?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

"Meu coração é um filme noir projetado num cinema de quinta categoria. A platéia joga pipoca na tela e vaia a história cheia de clichês.

Meu coração é um deserto nuclear varrido por ventos radiativos.

Meu coração é um cálice de cristal puríssimo transbordante de licor de strega. Flambado, dourado. Pode-se ter visões, anunciações, pressentimentos,ver rostos e paisagens dançando nessa chama azul de ouro.

Meu coração é o laboratório de um cientista louco varrido, criando sem parar Frankensteins monstruosos que sempre acabam por destruir tudo.

Meu coração é uma planta carnívora morta de fome.

Meu coração é uma velha carpideira portuguesa, coberta de preto, cantando um fado lento e cheia de gemidos—ai de mim! ai, ai de mim!

Meu coração é um poço de mel, no centro de um jardim encantado, alimentando beija-flores que, depois de prová-lo, transformam-se magicamente em cavalos brancos alados que voam para longe, em direção à estrela Vega. Levam junto quem me ama, me levam junto também."

Caio, grande Caio.
Agora não da mesmo pra ser feliz, é impossível. Mas quem disse que a gente precisa ser sempre feliz ? Isso é bobagem. Como Vinícius cantou "é melhor viver do que ser feliz". Porque, pra viver de verdade, a gente tem que quebrar a cara. Tem que tentar e não conseguir. Achar que vai dar e ver que não deu. Querer muito e não alcançar. Ter e perder. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e dizer uma coisa terrível, mas que tem que ser dita. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida. A vida é incontornável. A gente perde, leva porrada, é passado pra trás, cai. Dói, ai, doi demais. Mas passa. Está vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que estou falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.


Caio, grande Caio!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Eu amo mais o CRUZEIRO hoje do que amava domingo. Se hoje Minas Gerais inteira está triste também está orgulhosa. Orgulhosos estamos de ter um time como o CRUZEIRO que é notícia no MUNDO inteiro, que carrega o nome do nosso estado e do nosso país com GRANDEZA e que nos proporciona fortes emoções como as de ontem. Não ganhamos o campeonato, mas amigo cruzeirense, hoje é dia de mostrar orgulho! Lutando contra tudo e contra todos chegamos à final da competição mais importante do Brasil. Não conquistamos o campeonato porque jogando na mesma hora havia um grande time com um grande líder, e que foi um titulo merecido para eles. Futebol é assim...
Nós lutamos, nós chegamos perto, muito perto, eu não abaixei a cabeça, eu chorei de joelhos, eu acompanhei o meu time a cada lance, acreditei até o final, eu senti o gosto amargo da derrota de 2° lugar, é, eu amo esse clube. Nós não levamos o campeonato, mas fizemos a nossa parte, fomos lá e ganhamos, porque tivemos o talento e a capacidade de nos classificar e chegar onde chegamos, nos mostramos verdadeiros guerreiros os guerreiros que somos. E mesmo depois, de roubados para ver se assim, o Corinthians chegaria a algum, nem assim, nem assim conseguiu se firma no segundo, isso só mostra o quanto merecemos chegar onde chegamos. Se campeão sempre? Impossível. Mais impossível ainda é deixar de amar um time tão honroso, tão nobre e com uma grande história! Não pensem que estamos mortos, pois somos e sempre seremos um gigante no Brasil e no mundo. Time celeste, time vitorioso, time que não desiste. Chegar aonde chegamos não é pra qualquer um não. Ao contrário do Corinthians , vocês em momento algum viram o Cruzeiro vacalhar com o jogo, não viram o Cruzeiro cometer faltas ante esportivas, não viram o Cruzeiro parar o jogo por qualquer coisa e não vira o Cruzeiro fazer cena. O Fluminense ganhou, parabéns. Mas a postura de um verdadeiro campeão foi nossa.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

De Alexandre Dumas Filho.

Tradução de Machado de Assis.

Fiz promessa, dizendo-te que um dia

Eu iria pedir-te o meu perdão;
Era dever ir abraçar primeiro
A minha doce e última afeição.

E quando ia apagar tanta saudade
Encontrei já fechada a tua porta;
Soube que uma recente sepultura
Muda fechava a tua fronte morta.

Soube que, após um longo sofrimento,
Agravara-se a tua enfermidade;
Viva esperança que eu nutria ainda
Despedaçou cruel fatalidade.

Vi, apertado de fatais lembranças,
A escada que eu subira tão contente;
E as paredes, herdeiras do passado,
Que vem falar dos mortos ao vivente.

Subi e abri com lágrimas a porta
Que ambos abrimos a chorar um dia;
E evoquei o fantasma da ventura
Que outrora um céu de rosas nos abria

Sentei-me à mesa, onde contigo outrora
Em noites belas de verão ceava;
Desses amores plácidos e amenos
Tudo ao meu triste coração falava.

Fui ao teu camarim, e vi-o ainda
Brilhar com o esplendor das mesmas cores;
E pousei meu olhar nas porcelanas
Onde morriam inda algumas flores...

Vi aberto o piano em que tocavas;
Tua morte o deixou mudo e vazio,
Como deixa o arbusto sem folhagem,
Passando pelo vale, o ardente estio.

Tornei a ver o teu sombrio quarto
Onde estava a saudade de outros dias...
Um raio iluminava o leito ao fundo
Onde, rosa de amor, já não dormias.

As cortinas abri que te amparavam
Da luz mortiça da manhã, querida,
Para que um raio desposasse um toque
De prazer em tua fronte adormecida.

Era ali que, depois da meia-noite,
Tanto amor nós sonhávamos outrora;
E onde até o raiar da madrugada
Ouvíamos bater – hora por hora!

Então olhavas tu a chama ativa
Correr ali no lar, como a serpente;
É que o sono fugia de teus olhos
Onde já te queimava a febre ardente.

Lembras-te agora, nesse mundo novo,
Dos gozos desta vida em que passaste?
Ouves passar, no túmulo em que dormes,
A turba dos festins que acompanhaste?

A insônia, como um verme em flor que murcha,
De contínuo essas faces desbotava;
E pronta para amores e banquetes
Conviva e cortesã te preparava.

Hoje, Maria, entre virentes flores,
Dormes em doce e plácido abandono;
A tua alma acordou mais bela e pura,
E Deus pagou-te o retardado sono.

Pobre mulher! em tua última hora
Só um homem tiveste à cabeceira;
E apenas dois amigos dos de outrora
Foram levar-te à cama derradeira.


Por várias e várias vezes tentei me sentir tão triste quanto o homem que escreveu a poesia acima, mas, é impossível.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Futebol: Apenas um esporte pra alguns e uma coisa muito importante pra muitos. Principalmente brasileiros. Domingo assistindo o jogo Cruzeiro x Flamengo eu vi como 3 simples jogos conseguem mexer com um país inteiro e causa emoções diferentes. Eu passei o jogo inteiro tremendo e morrendo de ansiedade pra saber dos outros jogos. Meu time está numa situação que ao mesmo tempo me dá esperança mas mesmo assim eu coloco na cabeça que isso é difícil. Ele precisa vencer e esperar um tropeço do Fluminense e do Corinthians pra ser campeão. Mas futebol quando se fala com o coração, nenhuma estatística vale.


Se espero que o cruzeiro seja campeão? Espero, sei que é difícil. Mas eu quero sentir, sentir aquela alegria que senti em 2003, quero tirar aquele fantasma da libertadores do ano passado. Quero gritar pra todo mundo O meu cruzeiro foi campeão. Quando se acredita em algo, de coração, quando se ama algo com todo o que tem, quando se tem fé, tudo pode acontecer, tudo pode mudar. E eu amo o MEU CRUZEIRO.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ele não é real. Eu não posso torná-lo real.

Não mais escrevo, assim por escrever, assim por dizer, assim por saber, saber que por ti não sofro mais, sofrer de tanto lhe procurar e não o achar, não mais derramo lagrimas, lagrimas de amor, amor que desperdiçou e não mais lhe dou lágrimas de dor, imensa dor. Não mais escrevo assim por escrever, assim por dizer, assim por saber, escrever para tentar esquecer, este vazio que me deixou, assim por escrever pra tentar tapar este buraco que me causou. Não mais escrevo, assim por escrever, assim por dizer, assim por saber, que mesmo que não mais escreva sobre você. Estarás presente na pior e na melhor parte do meu coração.


Ficou uma grande merda, gostaria de ter escrito algo diferente, vou melhorar. Fiquem com este, por enquanto.

domingo, 21 de novembro de 2010

'God Save the Queen'

Todo mundo tem o direito de sonhar, sonhar alto e sem os pés no chão. Basta você acreditar, se empenhar para que aquilo se torne realidade, abrir as portas, seguir caminhos que vão te ajudar a chegar ao seu objetivo. Para muitos, isto é algo fácil, pois vivemos em uma geração medíocre, repleta de adolescentes ridiculamente mimados que não sabem o que é lutar para conseguir algo, pois a vida inteira tiveram tudo de mão beijada dos pais. Eu não tive, nunca vou ter. Mas tenho orgulho disto. Pois TODAS as minhas conquistas serão bem mais dignas, independentes, merecidas, suadas. EU, somente EU, vou saber o quanto me esforcei para realizar aquilo, e esta deve ser uma das melhores sensações do mundo. E isso nenhum dinheiro paga. Sinto pena de quem se limita a uma vida em que os sonhos já são realidade. Afinal, precisamos de sonhos para chegar a algum lugar.
Hoje eu posso erguer minha cabeça, mesmo que com um olhar marejado de lágrimas, bater no peito e falar: ''Eu vou conhecer minha Londres, custe o que custar, seja quando for. Eu vou realizar este sonho. Eu vou lutar por esta conquista." Acho que todos nós temos que pensar assim. Lute pelos seus sonhos, lute pelos seus objetivos, lute para pertencer dignamente ao lugar que você ama. Seja aqui, em outra cidade, em Tóquio, na Austrália, na Itália, ou até mesmo em uma favela. Pois como uma música do McFly diz ''Home is where the heart is'' (Casa é onde o coração está). Vá atrás do lugar onde sua felicidade está.

Onde teu coração está. Eu já estou atrás do meu, e você?


''Believe, it's somewhere. It's easy to find.'' (Sunny side of the street – McFLY)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Não dessa vez.

E mesmo que eu me arrependa, eu não irei atrás, não dessa vez, não mais uma vez. Espero que realmente, você possa entender meu lado, não é raiva, e nem decepção, nem eu mesma, sei o que estou sentindo, só entenda, que não posso voltar a ser como antes, não agora, não dessa vez.

Estou sentindo uma falta mortal de ti, sinto falta das nossas risadas, dos nossos abraços, das nossas brincadeiras, sinto falta de como eu sou quando estou com você, mas não posso querer concertar nada agora, não agora, não dessa vez.
Você sabe o quanto te amo, e sempre vou te amar, sabe que eu faria de tudo por você, e eu digo sem medo algum, eu te amo sim, mas não posso ir atrás de ti, não dessa vez, isso não é orgulho, e nem birra, apenas não posso matar meus sentimentos, mesmo nem sabendo que sentimento é esse, mas não posso mata-lo, não agora, não dessa vez.
E mais uma vez, irei dormir com essa dor no coração, talvez eu esteja te perdendo, mas não posso ir atrás de ti, não agora, não dessa vez.
Espero que me entenda, pois eu não me entendo, não dessa vez.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Estou cansada da minha rotina. Cansada de todos os dias ver as mesmas pessoas, fazer as mesmas coisas, não fazer nada. Cansada de ficar esperando pra falar com você por apenas alguns minutos. Ando cansada de estar cansada. Ando cansada de reclamar. Sinto-me sozinha às vezes. Sinto que ninguém se importa, de verdade. Talvez nem eu me importe, de verdade. Ando cansada de estudar, e eu mal voltei das férias. Ando cansada de ficar em casa. Ando cansada de tudo mesmo. Só me vejo reclamando. Ando cansada de querer parecer algo que não sou. Ando cansada de ser eu mesma. Já tive vontade de viver a vida de outra pessoa. Já tive vontade de viver intensamente. Por que essas coisas realmente não acontecem comigo? Queria viver como em um filme, queria poder morar em Londres e vestir o que eu quero. Queria poder ter todo o dinheiro suficiente pra comprar as roupas que eu quero. Queria poder viajar mais. Queria poder ficar mais com os meus amigos.Os verdadeiros amigos. Ando vendo eles tão pouco. Tenho ficado meio irritada. Tenho pensado muito no amor. Em como eu cansei do amor, tem sido sempre a mesma coisa. Por que alguém sempre sai machucado? Ando fazendo muitas perguntas. Acho que estou confusa. Só acho. Acho que preciso de férias. Acho que eu merecia uma viagem. Outra viagem. Acho que eu merecia me mudar. Mudar de bairro, cidade, estado, Melhor. Mudar de país. Acho que eu podia fazer um intercâmbio. Pra sentir saudades um pouco da minha rotina. Queria poder viver outra vida. É. Eu quero viver outra vida a minha anda parada. Às vezes nem anda. Por que eu preciso estudar? Não ficarei mais feliz se passar no vestibular. Só vou ficar feliz porque meus pais vão ficar felizes se eu passar. Às vezes queria ser criança. Voltar a brincar de casinha. Às vezes queria ser adulta. Ter minha própria casa, Ter uma família. Queria também poder ser rica, ou então poder ser um pouco mais velha, 3 anos era o suficiente. Pra poder fazer o que eu quero. Queria fazer um pouco mais do que eu quero. Queria poder viver intensamente. Queria ser querida por todos. Queria me envolver em uma briga de verdade. Queria beber muito, até cair, de novo, e de novo. Queria poder ir as melhores festas. Queria poder comprar todas as roupas que eu gostar. Queria achar roupas que eu realmente gosto. País de merda. Queria que as pessoas parassem de gostar das coisas por estarem na moda. Queria que cada um tivesse seu próprio gosto. Queria que você estivesse ao meu lado novamente. Queria pular de uma ponte. Queria que essas meninas acordassem um pouco, parasse de gostar das minhas bandas, dos meus artistas, dos meus filmes, dos meus paqueras,das minhas roupas,das minhas músicas. Queria que parassem de se importar um pouco com o que eu faço ou deixo de fazer. Com quem eu beijo ou deixo de beijar. Ao mesmo tempo queria chamar um pouco mais de atenção. Queria que me notassem um pouco. Que alguém realmente fosse ler até aqui. Queria parar de ser tão ciumenta, tão possessiva, tão preguiçosa, tão egoísta, queria não estar apaixonar tão fácil, queria ter uma personalidade mais forte. Queria parar de me contradizer agora, parar de ser indecisa. Queria mais amigos, amigos de verdade. Queria ver neve. Andar na neve, tomar chocolate quente e ficar embaixo das cobertas com um urso de pelúcia assistindo a um romance. Queria mais sorrisos, menos falsidade, queria poder até eu parar de comentar sobre os outros, queria mais festas, mais diversão, menos estudo, mais amor, menos corações partidos, mais estilo próprio, mais amor próprio, menos inveja, menos modinhas, queria viver mais, ser mais feliz, sempre mais, ah, como eu queria. 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

As coisas não estão fazendo tanto sentido ultimamente, não vejo motivos em abrir os olhos ao nascer do sol, será sempre a mesma rotina, a rotina monótona de sempre. Tento sobreviver, mas os dias parecem intermináveis, não sei qual o sentido de ainda viver, de ainda continuar neste mundo. Meu melhor amigo é a cafeína. Ligo o radio, e o que eu apenas ouço são ruídos, constantes ruídos que entram nos meus ouvidos perdendo-se em minha mente vaga e distante. Sinto-me completamente perdida e vazia. Encontro-me prensada a uma vida que não quero viver. Estou presa a um mundo tão frio, quando o meu corpo , fraco e sensível.  Queria fugir, me ver longe, deste lugar a qual eu não pertenço. Estou cansada e com medo, medo do mundo ao qual está ao meu redor.  Todos têm um limite, e eu cheguei ao meu, de todas as formas possíveis. Não sei o que está acontecendo, mas minha vida está assim, estou assim por dentro, vazia, perdida, sozinha, destruída. E não sei, como nem dá onde vem, só sei, que este sentimento persiste em seguir, semana após semana, me reviro entre os lençóis suo frio enquanto pensamentos horríveis me passam pela cabeça, as piores coisas que podem acontecer, extinguindo o que poderia ser alegria. Tudo isto vem acompanhado de uma terrível sensação de nostalgia melancólica. Desculpe-me, não o posso mais.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Bem, eu nem sei direito como começar, ou o que realmente dizer... Mas tentarei, sempre ouvi dizer que faz bem desabafar, e colocar tudo pra fora. E é isto que estou a fazer, antes que isso acabe comigo de vez. Eu não sei ao certo o que aconteceu, mas sei que faz um tempo, que nasceu um sentimento, um sentimento que só cresce a cada dia. Querer expor este sentimento para ti não é nada fácil, acredite, tenho todos os empecilhos do mundo... Por isto estou aqui... Todas as coisas que já fiz, foram para lhe agradar, todas. É isso que eu quero te ver feliz, já que não o posso fazer. E é, por este motivo que não me permito sentir algo mais por você, me machucaria muito, lhe ver chorando, ou chateado, por minha causa.
Pessoas, tão iguais em suas individualidades e tão diferentes em sua totalidade. Algumas delas nos fazem sorrir, outras nos fazem chorar, algumas delas, pensar, outras nos trazem calmaria, como outras nos deixam enciumados. E algumas delas, conseguem nos proporcionar a união de todas essas emoções. Com sua simples presença, conseguem nos fazer sentir coisas loucas, inimagináveis. Algumas pessoas nos fazem amar. É, amar. Querer estar perto, cuidar, zelar pelo bem estar. Vivo a me perguntar como pode ter tomado meu coração com tamanha facilidade, com tamanha rapidez. Pergunto-me também, como é possível me fazer tão bem. Parece até um sonho e, se realmente for, não quero acordar jamais dele. Quero viver esse sonho por toda minha vida. Esse sentimento que mora não só em meu peito, mas em minha cabeça e em todo meu corpo. Jamais imaginei que amaria tão pura e verdadeiramente alguém. Quer dizer, até cheguei imaginar, mas não imaginei que seria tão intenso e que essa pessoa seria você. Faz muito tempo que nos conhecemos, Thomaz, querido. Sabe bem quem sou. Sei que é confuso. Mas espero que me entendas, querido. E que, por favor, anote essas palavras em sua mente, tatue-as em seu coração. Quero que as guarde contigo, e tenhas em mente que eu nunca, jamais, deixarei de estar ao seu lado, esteja você casado ou não, apaixonado ou não, feliz ou não.

Eu disse que não era nada de mais. Foi só um desabafo, mas. Fiz isto para você.

sábado, 2 de outubro de 2010

Minha Londres, não há ninguém que te ame mais do que eu, não há ninguém que te deseje mais que eu, não há ninguém que te venere mais que eu.  Não existe amor igual ao que eu sinto por ti Londres.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Certa vez peguei-me pensando em que rumo minha vida havia tomado, nas varias mudanças. Eu cresci, deixei figurinhas e bonecas de lado, não tenho mais coleção de ursos, e se quer, gosto tanto de doces como antes, brincar na chuva, não é mais uma cosia que em faz brilhar os olhos, e ficar o dia inteiro em uma rua toda suja, me dá nervoso, aprendi que nem sempre podemos ganhar, aprendi que as pessoas não irão mais gostar de mim, só porque sou bonitinha e fofinha, aprendi que tenho que fazer coisas para agradá-la, aprendi que certo tipos de musicas são horríveis, e que alguns que julgava chatas são incríveis, aprendi que livros de verdade não são histórias em quadrinho, ou livrinho que tem apenas algumas palavras e são cheios de imagens, e sim coisas com histórias as vezes quase reais e emocionante que te tocam de uma maneira profunda e contagiosa, mas que as vezes lhe mete medo, aprendi que não devo ser amiga de pessoas que me fazem mal, por mais que eu as ame, aprendi que nem tudo na vida é como eu quero, e se eu quiser algo, tenho lutar muito, e trabalhar, e cansar muito para consegui-la, aprendi que nem sempre terei os meus pais por perto, e que como todo ser humano eu erro as vezes, mas que tenho que assumir meus erros, aprendi que todo pai tem o seu filho preferido, e que por mais que nos machuque saber disso, não podemos mudar, aprendi que comparações são horríveis, temos que nos aceitar do jeito que somos, mesmo que isso não seja o que os outros querem, pelo menos, você ainda será você mesmo.


Mas, ainda estou pensado, se gostei ou não de todas essas mudanças, e todo este aprendizado.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

- Você ainda não percebeu não é mesmo?

- Percebi o que?
- É você realmente não percebeu isto é um pouco ruim sabia?
- Se é ruim para você posso, tentar mudar, só me diga o que é.
- Você ai, toda apaixonada, falando sobre está garota. Ela deve ser muito bonita, deve ser como uma princesa não é mesmo?
- Então falar dela lhe machuca? Posso saber qual o motivo?
-Você ainda não percebeu não é mesmo?

Ficaram em silencio por alguns segundos e finalmente ela começou...

- Toda vez que você faz isso, fala sobre ela cria buracos em mim, que apesar de tão pequenos, doem como se fossem crateras. E você não percebeu, mas eu o amo, eu o amo tanto, que por mais que me machuque ouvir você falar dela assim com tanto entusiasmo, eu até gosto de ouvir, pois gosta de saber se ela o faz bem, se ela é tudo o que você realmente merece.
- Mas,
- Por favor, não diga nada.

Ela disse o interrompendo, e continuou:

- Eu o amo o bastante para saber que estás apaixonado por ela, e o amo o bastante para desejar que seja o cara mais feliz do mundo ao lado dela. Olha, eu nunca vou lhe esquecer, mas não posso continuar com isso. Perdoe-me.

E então ela saiu, o deixando sem reação, e sem ao menos escutar, o que ele gostaria de lhe dizer. Dias se passaram, e então ele finalmente ligou para tua casa.
- Alô. Uma pessoa qualquer atendeu ao telefone.
- Claire está? Disse ele com uma voz entusiasmada, como se estivesse se preparando para isto há muito tempo, e finalmente aconteceu.
- Não, você não soube?
- Não, o que houve? Ele perguntou já com uma voz nervosa e tremula.
- Claire se mudou para Irlanda, foi morar com sua tia lá, mas ela sempre liga, gostaria de lhe deixar algum recado?

E então, ele ficou em silencio por alguns segundos e finalmente falou...

- Diga a ela que eu a amo e sempre a amei, diga que eu falava com entusiasmo de outra garota, porque achava que ela nunca havia se interessado por mim, mas ela não me deu uma oportunidade para falar isto a ela, diga que eu nunca vou a esquecer... E a mande um grande beijo, de seu amigo, e amante secreto: Déco.


Não saiu como imaginado, prometo que o próximo sairá um pouco melhor.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Minha querida Odiada,

Minha querida odiada, mas sempre amada, uma coisa difícil de entender não achas? Mas o que na vida não é difícil? Eu gostaria de lhe dizer, que eu ainda a amo muito, eu ainda tenho aquele velho sentimento, sabe, aquele que achavas que só havia durado durante três anos, aquele que sentir imediatamente ao lhe ver sorri para mim, sabe qual é? É eu o tenho, sabe por que o tenho? Porque não posso simplesmente arrancá-lo de mim, como se não houvesse significado nada, como se eu não o quisesse mais para mim, mas eu o quero, o quero com todas as minhas forças.  Sabe, eu a amei, com o amor mais puro e mais bonito que possa existir na face da terra, eu nunca fui tão amiga, tão cúmplice, nunca me entreguei tanto assim, mas por você, eu deveria fazer isto não é mesmo? Até porque você também nunca deixou a desejar nada para mim, sempre foi presente, sempre foi atenciosa, sempre esteve ao meu lado, sempre com um lindo sorriso nos lábios, e um lindo olhar, que brilhavam quando me viam chegar, era umas das coisas mais lindas já havia visto em toda minha vida. Estou aqui para lhe dizer que sinto falta, sinto falta do teu abraça apertado, sinto falta de suas maluquices, sinto falta de teus olhos brilhando ao me verem... Mas, hoje ao lhe ver, como todos os outros dias, sentir forte dor no peito, todos os dias sinto, hoje foi diferente, tentei encontrar em seus olhos, aquele brilho, que era tão dele, mas não encontrei, hoje eu vejo ódio em seus olhos, muito ódio, talvez seja de mim, na verdade, tenho quase certeza que é de mim, mas se fosse assim, era pra mim ter também, afinal, você me fez feliz, mas também me fez sofrer, você nunca admitiu isso, talvez com o passar do tempo você tenha pesando muito nisso, e verá que não sou tão culpada assim, tudo bem, metade da culpa é minha, mas a outra metade é sua, e você não pode jogá-la em mim, eu nem sei porque estou falando todas estas coisas, só não estou te conhecendo mais, e olha, eu que era a pessoa que mais te conhecia, ou você mentiu neste aspecto também para mim? Não importa, nada disto importa, eu a amo, e sempre a amarei.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O que é de fato o amor?

Aposto que se eu saísse nas ruas perguntando as pessoas se existe amor, todas elas responderiam que sim, na verdade a maioria, responderia que sim, sem ao menos elas saberem se existia amor dentro delas, mas, aposto que se perguntasse a elas, por que o amor existe, elas não saberiam responder, ou talvez soubessem, mas iam levar um bom tempo para pensar, então é essa a questão, será que o amor é tão comum assim? Será que as pessoas estão tão acostumadas a acreditar que elas realmente têm, que sempre quando alguém as pergunta se existe, elas respondem que sim, sem ao menos saber se realmente dentro delas existe amor, as pessoas tem a mania de acreditar que todas tem amor dentro de si, sem ao menos saberem o que realmente é o amor, ou então elas acham que o único amor é o que sentimos por uma pessoa do sexo oposto (ou do mesmo), elas acreditam que amor que sentimos por pai e mãe, somos obrigados a sentir, ou então sentimos porque convivemos com eles desde que nascemos, acreditam que amor por amigos passam, e que não precisam deles, talvez o que eu vá falar aqui, ninguém concorde, ou talvez uma ou duas pessoas concorde, eu sei que não sou ninguém para ficar falando sobre o amor das pessoas, e sei também que nem todas são assim, mas a maioria é, eu pelo menos sou, eu acredito no amor sem ao menos senti-lo, eu já senti, mas sofri tanto por causa disso, que prefiro me esquecer desta palavra, mas se alguém me perguntasse se o amor existe eu responderia que sim, mesmo odiando o amor, mesmo desprezando com toas as minhas forças essa palavra , que torna tudo tão confuso, mas tão lindo ao mesmo tempo. Pare um pouco, pare de fazer o que está fazendo e pense, me como é lindo o amor de seu pai por sua mãe, mesmo que estejam separados, o amor não morre assim, pare e pense, como é lindo o amor que seus avós sentem por seus pais, pare e pense em como é lindo o amor que sente por teu(tua) irmão(ã), mesmo querendo o espancar por tanta vezes lhe fazer raiva, pense em como é lindo o seu amor por aquele amigo que desde de quando você se conhece por gente está ai bem ao seu lado, e veja também como é lindo o amor por esse seu amigo que conhece a pouco tempo, mas está também, em todos os momentos ao seu lado, como é lindo o seu amor por seu animal de estimação, como é lindo o amor pelo seu ídolo. Então agora pense um pouco, o amor existe mesmo não é? Mas eu duvido que você parou para pensar em tudo isso, e em muitas outras coisas a mais, que também significa amor, mas porque será que essa palavra, bela mas que ao mesmo tempo nos dá uma sensação de insegurança as vezes machuca tanto? Porque será que temos medo dela? Porque será não nos entregamos totalmente a ela, porque o que ela mais quer é ser feliz e nos fazer feliz? Bom eu ainda não descobri toda a magia do amor, mas sei que a uma magia por trás dele, sei que ele está ai pra quem quiser senti-lo, e sei também que as pessoas deviam se entregar mais a ele, porque junto dele está a felicidade, sim, porque amor só é amor quando é correspondido, e que por mais transparentes que possamos ser (ou que achemos que somos), a maior parte das pessoas não enxergará aquilo que queremos de fato demonstrar, então temos que demonstrar quebrar a cara e ser feliz com o amor.

Eu não disse tudo o que queria dizer quando comecei escrever este texto, e sei que existe muita gente que discorde de mim, esse é só o meu modo de ver o amor, não precisa ser necessariamente o de todos.

Breve longa história, do melhor clube brasileiro do século xx.

CRUZEIRO ESPORTE CLUBE.

História

O Cruzeiro Esporte Clube foi fundado em 2 de janeiro de 1921 por desportistas da colônia italiana de Belo Horizonte com o nome de Societá Sportiva Palestra Itália. As cores adotadas, como não poderia deixar de ser, foram as mesmas da bandeira italiana: verde, vermelho e branco. O primeiro uniforme do clube foi camisa verde, calção branco e meias vermelhas. O clube foi restrito apenas a participação de elementos da colônia até o ano de 1925, quando abriu as portas para desportistas de qualquer nacionalidade.

Classe trabalhadora
Além de se caracterizar como uma equipe de descendentes de italianos, o Palestra também se destacava por possuir elementos da classe trabalhadora de Belo Horizonte. No corpo social do Palestra prevaleciam homens da profissão de pedreiros, policiais, pintores, comerciários e marceneiros, que eram os filhos dos imigrantes que vieram construir a capital do estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, em 1894, e que herdaram de seus pais a mesma profissão.

Mudança de Nome
Em janeiro de 1942, o Brasil entrou na 2a Guerra Mundial e um decreto lei do governo federal impediu o uso de termos das nações inimigas em entidades, instituições, estabelecimentos, etc. Com isso, o nome Itália foi retirado e a diretoria e os sócios do clube levaram 10 meses para criarem um nome e um novo símbolo para o clube que fosse totalmente brasileiro. Em outubro, um consenso dos diretores aprovou o nome Cruzeiro Esporte Clube por ser a constelação do Cruzeiro do Sul o maior símbolo da pátria brasileira. O uniforme também mudou para camisa azul, calção e meias brancas.

Paixão de um Povo
O Cruzeiro por ter sempre se caracterizado como um clube dos trabalhadores não poderia deixar de ser a paixão de todo o povo do estado de Minas Gerais. Segundo uma pesquisa realizada por um dos institutos de pesquisa mais abalizados no país, o Datafolha, para a Revista Placar no mês de novembro de 2002, o Cruzeiro é a primeira torcida do Estado, com o dobro do 2º colocado e a 4ª maior torcida da região sudeste.

Grandes craques
Eduardo Gonçalves Andrade, o Tostão, foi o maior artilheiro e o maior jogador da história do clube. Em 378 partidas jogadas (de 1963 a 1972), fez 248 gols. Foi o primeiro atleta de um clube mineiro a disputar uma Copa do Mundo, em 1966.
Zé Carlos - José Carlos Bernardo chegou ao clube em 1966 vindo do Sport de Juiz de Fora/MG e foi o jogador que mais atuou pelo clube; em 628 partidas (de 1966 a 1977) fez 83 gols.
Dirceu Lopes Mendes começou a carreira no Juvenil do Pedro Leopoldo, de onde veio para o Cruzeiro em 1963. Atuou em 601 partidas fazendo 224 gols com a camisa do Cruzeiro. Nos profissionais atuou de 1964 a 1976.

RELAÇÃO DOS TÍTULOS OFICIAIS DO CRUZEIRO



TÍTULOS INTERNACIONAIS


CAMPEÃO

Copa Libertadores da América 1976, 1997
Supercopa dos Campeões da Libertadores da América 1991, 1992
Recopa Sul-Americana 1998
Copa Ouro 1995
Copa Master da Supercopa 1995

VICE-CAMPEÃO
Copa Intercontinental 1976, 1997
Copa Libertadores da América 1977, 2009
Supercopa dos Campeões da Libertadores da América 1988, 1996
Recopa Sul-Americana 1992, 1993
Copa Mercosul 1998
Copa Master da Supercopa 1992

TÍTULOS NACIONAIS

CAMPEÃO
Campeonato Brasileiro 1966, 2003
Copa do Brasil 1993, 1996, 2000, 2003

VICE-CAMPEÃO
Campeonato Brasileiro 1974, 1975, 1998
Copa do Brasil 1998
Copa dos Campeões 2002

TÍTULOS INTERESTADUAIS

CAMPEÃO
Copa Sul - Minas 2001, 2002
Copa Centro-Oeste 1999

VICE-CAMPEÃO
Copa Sul - Minas 2000
Taça de Prata 1969

TÍTULOS ESTADUAIS

CAMPEÃO
Supercampeonato Mineiro 2002
Copa dos Campeões Mineiros 1991, 1999
Campeonato Mineiro 1926, 1928, 1929, 1930, 1940, 1943, 1944, 1945, 1956, 1959, 1960, 1961, 1965, 1966, 1967, 1968 ,1969, 1972, 1973, 1974, 1975, 1977, 1984, 1987, 1990, 1992, 1994, 1996, 1997, 1998, 2003, 2004, 2006, 2008, 2009
Taça Minas Gerais 1973, 1982, 1983, 1984, 1985
Copa Belo Horizonte 1960
Torneio Início 1926, 1927, 1929, 1938, 1940, 1941, 1943, 1944, 1948, 1966

VICE-CAMPEÃO

Campeonato Mineiro 1922, 1923, 1931, 1932, 1933, 1942, 1946, 1950, 1954, 1955, 1962, 1970, 1971, 1976, 1978, 1979, 1980, 1981, 1982, 1983, 1985, 1986, 1988, 1989, 2000, 2005, 2007
Taça Minas Gerais 1975, 1976, 1979
Copa Belo Horizonte 1959
Torneio Municipal 1951
Torneio Início 1921, 1926, 1930, 1931, 1933, 1934


*A Recopa Sul-Americana de 1998 foi disputada em 1999.
*A Taça Minas Gerais de 1982 foi relativa ao título da 1ª fase do Campeonato Mineiro; a de 1983 ao título do 2º turno; e as de 1984 e 1985 ao título do 1º turno. Em 1984 o Cruzeiro ficou com a posse definitiva da Taça Minas Gerais (instituída pela Federação Mineira em 1973) por tê-la conquistado três vezes consecutivas.
*Em 1926 o Cruzeiro disputou dois Torneios Início promovidos por duas federações distintas sagrando-se campeão pela Associação Mineira de Esportes Gerais e vice pela Liga Mineira de Desportos Terrestres.

Com tantos títulos no Brasil podemos considerar o Cruzeiro Esporte Clube com o melhor time do Brasil e um dos melhores times da América Latina. É difícil ter um time com a estrutura do Cruzeiro e ganhar tantos títulos como o Cruzeiro ganhou nos últimos tempos.

PS: Portanto se a algum time no Brasil que se contente com 6 mundiais, nós temos 7, somos 6 vezes campeões brasileiros, e o clube brasileiro que mais possui conquistas em competições de caráter oficial organizadas pela Confederação Sul Americana de Futebol.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Às vezes na vida só queremos ser feliz e ter uma pessoa com quem partilhar à felicidade, as coisas que sentimos que precisamos desabafar, as pessoas vivem rodeadas de mais pessoas isso para elas é ser popular, ser conhecida no bairro inteiro na escola inteira, etc., mas e depois, e depois quando você for pra casa e procurar alguém para desabafar, para contar seu medos, suas ambições, e depois quando você estiver na escuridão sozinha quem vai vir limpar suas lagrimas, quem vai vir para dizer : está tudo bem eu estou aqui? Sendo que essas as pessoas pelas quais você estava rodeada, eram só pessoas, eram só colegas que não vão ir dormir na sua casa, não vão limpar as suas lagrimas quando você chorar, e nem vão ter paciência para te escutar quando você quiser simplesmente gritar, não vão ficar em silencio, e nem vão chorar com você, eles só vão te alegria naquele momento, depois vão sumir e fingir que nunca te viram na vida, as vezes sentimos falta de alguém, alguém que ainda não conhecemos, e que esperamos incessantemente conhecer um dia .Alguém, ou uma voz interior lá dentro grita, saia conheça alguém, divida seus pensamentos com essa pessoa, mas será que é tão fácil assim? Será que a vida é fácil assim? Sentimos falta de alguém sim, que esperamos constantemente acordar e conhece – lá, mas não vai ser assim, não mesmo, você vai procurar por muito, muito tempo até achar aquela pessoa que realmente vale a pena, dizer:’’ o que seria da minha vida sem você ?’’ou talvez nunca ache, eu pelo menos já perdi as esperanças.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Desculpe se eu não fui o seu melhor amor.

Você sempre esteve aqui tentando que eu te notasse que eu te fizesse um elogio, que eu me apaixonasse por você, que você pudesse me fazer feliz. Eu não sabia o tamanho da importância que você tem em minha vida. Agora você já não tá mais aqui, você se cansou e eu não te culpo por isso. Mas eu estou sem um chão, sem um ar pra respirar. Me falta você e isso tá me causando uma crise de abstinência profunda. Sua ausência sempre presente ao meu lado me deixando com um vazio enorme e constante que se aumentava cada vez mais que eu precisava de uma palavra sua para me acalmar e me fazer feliz, um carinho. Me arrepende amargamente de não te ter dado o amor que realmente merecia, de não ter te mostrado o meu sentimento. Na verdade, não sabia que dentro de mim morava um sentimento. E hoje com toda essa tristeza e vazio te darei o meu amor eternamente pois só eu sei o quanto que eu te amo e o quanto que me faz falta. Te peço perdão, de verdade. Mas você me disse apenas que sonhava com o dia em que eu acordasse e visse que tudo que eu sempre precisei esteve ao meu lado nas horas boas e ruins. Não deixe nosso amor acabar, não deixe o nosso amor mudar. E me desculpe se eu não fui o seu melhor amor.

domingo, 29 de agosto de 2010

Ninguém nunca me ensinou o que é ser adolescente.

Quer saber? Ninguém nunca me ensinou o que é ser adolescente. Todos falam que é uma época mágica, não há preocupações e que passa mais rápido do que eu imagino. Mas ninguém me disse a respeito do que me aflige.. Eu não conseguir achar caminhos de volta pra onde eu quero deveria ser normal? Eu não me entendo. O pior é que quanto mais eu tento, mais eu me frustro. Eu fico desesperada nas provas do colégio, eu sinto dores que ninguém sabe explicar e eu tenho uma vontade constante de chorar. Cadê a magia? Por que ninguém nunca me disse que eu passaria por momentos em que eu ia questionar minha existência, que eu sentiria um amor maior que eu e que eu pensaria que um amor é eterno até dias depois eu estar numa cama chorando compulsivamente porque o tal amor se foi? Por que ninguém nunca me disse que eu vou ter que abrir mão de mim mesma pra chegar em algum lugar? Vou ter que parar de sentir milhares de coisas, de gostar de um tanto de banda, cor, gosto pra poder fingir que sou adulta. Quando eu chegar na tal idade do sucesso, eu vou olhar pra trás e dizer que merda que eu fiz da minha adolescência? Eu não quero isso pra mim. Mas eu também não sei o que é viver. Não sei o que é não se preocupar, não chorar compulsivamente, gastar com coisas inúteis, gostar e desgostar, aproveitar tudo ao mesmo tempo. Se isso não é viver, realmente eu não sei. Sabe, acho que adolescência é mesmo isso.. O fato de que você tem que aceitar que não consegue entender nada. As pessoas, a vida, seus sentimentos, continuam sendo eternos labirintos que mudam conforme suas escolhas. Você nunca chega a lugar algum, porque você nunca se decide. Aí é que está a magia: você pode se decidir entre milhares de caminhos, porque não há escolhas. Se for pra morrer de amor, só pra continuar vivendo.. vá em frente. Já que ninguém nunca te explicou o que é certo, nada pode ser errado agora. Só depende de você.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O que realmente importa.

Eis que havia cordado ás 8 horas da manhã, onde acabara de dormi, em meu quarto sombrio. Coloquei uma musica tranqüila pra começar o dia de bom humor. Abrir as cortinas e percebi que a luz do sol não batia em meu rosto como de costume. Olhei para céu meio nublado, e pensei em um lugar bem distante dali, um lugar deserto, que ao invés de chuva existia neve, às vezes eu meu perguntava de onde eu tirava certas idéias absurdas, mas, por mais estranho que fosse minha vontade era de ir para lá e passar um longo período longe de todos. Eu me perguntava se conseguiria ficar sem meu mp4, sem meu computador, sem meu celular, sem espelho pra me ver, sem meu secador. Infelizmente, a vaidade tomava conta de minha mente e de todo o meu corpo. Como eu gostaria de voltar no tempo, para quando era apenas uma menininha ingênua. Quando olhava pra o céu e pensava em cada dia, que mudaria algo em mim. Sentei-me em minha cama, foi quando me lembrei de meus amigos, percebi que havia outras coisas que precisavam de mais atenção e amor de minha parte, e que eu não poderia simplesmente sumir, só porque eu não estava satisfeita com minha vida sem graça, que ao estar perto deles se tornava a melhor de todas. Coloquei as mãos em minha cabeça e comecei a chorar. Passei o dia pensativa, precisava dar mais atenção as coisas que realmente importam em minha vida, quando chegou a noite, decidir sair, esclarecer a mente... E sabe quem encontrei? Alguns amigos, não encontrei todos os que queria realmente encontrar, mas os que encontrei são muito importante também. E pensei como é extremamente importante cairmos na real, às vezes, né? Parar de nos apegar nos pequenos luxos diários e lembrar a importância das coisas simples, eu acho que é normal de vez em quando, querer sumir do mundo, viajar pra um lugar deserto onde ninguém nos encontrará, mas nós sempre teremos na cabeça e no coração aqueles que amamos.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Hoje finalmente descobri o que você tinha, de certa forma eu já sabia, mas ainda sim, foi difícil lidar com isso, achei que já avia me acostumado a viver sem ti, mas isso não me anima muito, o fato de não poder ver teu magnífico sorriso, de não poder ouvir tuas doces palavras dói bem no fundo, saber que o que era tão meu, hoje já não me pertence mais, perceber que por mais que eu insista em acreditar que qualquer dia desses poderei encontrá-lo, e ouvi de tua boca que tudo não passou de um sonho ruim, ou uma piada sem graça, não é mais possível, saber que o pra sempre que você me jurou não existe mais, mas porque logo o pra sempre? Será que não existia outra promessa que você poderia não cumpri do que o pra sempre? Mas eu lhe entendo, ou ao menos fingo entender, só queria que você soubesse, que nunca vou lhe esquecer, vou lembrar-me de ti durante toda minha vida insignificante.


Não consigo terminar está carta, e com lagrimas em meu rosto, lhe digo, se o dia em que eu poderei lhe ver novamente for o dia de minha morte, eu aguardo ansiosamente por ela.

Faça seu próprio sonho.

Se você quer salvar o Peru, vá salvar o Peru. É bem possível fazer alguma coisa, mas não dotá-lo de líderes ou parquímetros. Não espere que Jimmy Carter ou Ronald Reagan ou John Lennon ou Yoko Ono ou Bob Dylan ou Jesus Cristo venha e faça por você. Você tem de fazê-lo sozinho. É o que os grandes mestres têm dito desde que os tempos começaram. Eles podem apontar o caminho, deixar indicações e instruções em variados livros que são chamados de sagrados e venerados por suas capas, e não por aquilo que dizem, mas as instruções estão por aí para que todos as vejam. Sempre estiveram e sempre estarão. Não há nada de novo sob o sol. Todos os caminhos levam a Roma. E as pessoas não podem fazê-lo por você. Eu não posso te despertar. Você pode se despertar. Eu não posso te curar. Você pode se curar. “

(John Lennon)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Absolutamente

A escuridão dominou tudo. É a única coisa que vejo. Está em todo lugar: preenche cada lacuna, está em meus poros, em meus olhos. Respiro-a. Ouço-a. Meus passos são cambaleantes, sinto como se cada um deles fosse em falso. Passos na escuridão, é isso o que eles são. Algo segura minha mão com força, é quente e de certo modo algo é transmitido - e é algo bom -. E medo é a única coisa que consigo sentir. Meus músculos retesam a cada estalido, a cada passo. Anseio tentar tatear, no entanto, sei que nada é o que minhas mãos tocarão. Não consigo me lembrar quando a escuridão tomou conta, tampouco quando o medo começou a retesar meus músculos e a insegurança ofuscar minha mente.
Comecei a sentir com exata clareza o que segura minha própria mão: outra mão. A sensação é extremamente familiar. Está preparado? Ouço, porém não enxergo quem disse. Você está bem? Parece longínqua. Preparado? Não obstante, está perto demais.

Abro meus olhos.

O medo, a escuridão e a insegurança dão lugar à luz.

Relembro.


- Então… Essa é a pessoa que você escolheu? - alguém que não conheço falou, gentilmente.
- Absolutamente. - ele falou.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Eu sei quem me matou.

Eu sei quem me matou.
Foi essa mania de querer ser mais que os outros, de andar de cabeça erguida além do necessário, de querer mandar, de ser independente.
Esse orgulho bobo, esse mal-humor permanente, esse olhar ambiguo e indecente.
O excesso de isolamento, o amar demais a pessoa errada, e então, trancar o coração.
O passeio noturno na chuva, a paixão pelos cemitérios, a adoração por tragédias.
Esse rosto sério, o lábio amargo, envelhecido antes do tempo.
Essa acomodação, a interrupção dos sonhos.
Isso me matou.
O próprio veneno, injetado aos poucos, sendo criado pelo sofrimento da vida e a auto-piedade.
O perigo para mim mesmo, as lágrimas contidas, engolidas a força. A falta de expressão e de sentimentos.
Minha força, sugada pelas pessoas que resolvi abandonar pelo caminho. O ódio por elas que me fez odiar cada dia mais a mim mesmo.
O velho coração aos pedaços, que conservava os desejos queimando, enquanto a imaginação conservava ilusões...
O rosto enganador, que ocultava o que esse falso coração sabia.
E eu estava morto. Eu me matei.
Um suicídio pior e mais doloroso que qualquer outro.
Porque eu ainda estou vivo. O terrível coração bate e o maldito sangue continua correndo nas veias.
Os dias continuam passando e eu não vejo muita diferença.
Fui eu quem morri, mais uma vez, quando precisava tanto que alguém morresse por mim.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

@tommcfly

Wanted you to feel a little of what I feel when I see your smile. Just a little of what happens to me when I hear your voice. He wanted to know what is really die when he felt the pain I feel when I think of bad things - for me - what is happening. You’d be sure how much I love you and I think that would leave no doubt in the air: I’m the only one who can and does so in the world for you. I love you with all my power of expression, I love you so bravely, so equal, so patiently … Never felt this way, I feel so different from others and so like you. Never cared principles, traditions or those things, but when I think I can be with you, my heart fills with hope and I have some memories so hot. I imagine such a beautiful thing, a spotless future. I wonder what it would be good and bad, I think of things that would be funny. When I think of us only think about it, nothing else. I remember when I feel a passion and want so much; I fill a fire that burns inside my chest, snatching all other feelings to become a great and unique thing. When I think about all along, I feel happiness, I feel tenderness and love, those you only see in older couples. When I think that anything can happen and does not depend on me anymore, the nostalgia almost suffocates and kills away, but then I fill you and if you were close, we would be one, my love. All I crave is that you only feel and understand what you have here. And who has the consciousness that this is not a passenger. You live it with me, and you will have the world. Stars. And how many particles of the universe you wish. There’s nothing in this world anymore than I can love you. And if I do not have me, I’d rather die. Nature will take good care of me where I am. But YOU are the single word; person and feeling that can make me stay.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Às vezes é estranho escrever sobre algo que me machuca muito, que me corrói a alma, que fere bem lá dentro, que não gosto de lembrar, mas eu insisto em escrever sobre, acho que nós realmente chegamos a um ponto de falar que nos odiamos a palavra “eu te amo” que era tão comum para nós, se tornou algo que nem podemos mais pronunciar um perto do outro, isso dói lá dentro, saber o quanto que sofri por nossas brigas sem razão, saber o quanto tive que por varias vezes ficar calada mesmo estando certa só pra não haver outra briga, por nada, mas no final nos afastamos, não é só sua culpa, é minha também, minha por ser tão fraca e não conseguir te pedir novamente perdão, perdão por às vezes sem querer lhe fazer sofrer, minha por não agüentar mais nossas brigas, minha por nos deixar acostumar a isso. A isso o que? Isso que fez com que o nosso maior amor acabasse isso que está nos fazendo sofrer, isso que por sermos tão egoístas, não damos o braço a torce, isso que nos machuca, mas não admitimos isso de não poder lhe pedi perdão mais uma vez, isso que nos deixou nos afastar. Seremos amigos? Acho que não, não poderei olhar em seus olhos, e ver que o que era o maior amor do mundo, se tornou uma simples amizade, não que isso seja ruim, será bom, que ainda sim poderei estar ao seu lado, mas não quero lembrar isso, como um amor que não deu certo, e então virou uma amizade, quero lembrar, como a coisa mais intensa que sentir em toda minha vida, quero lembra como o sentimento mais incrível que já tive, quero lembrar como meu único amor. Te amarei para sempre? Ainda não sei, não sei ainda por quanto tempo vai durar, mas continuarei te amando, até o dia em que eu não acreditar mais no amor.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Não sei mais se posso fugir da verdade ou deixar que ela tome conta de mim. O argumento mais distante está se aproximando cada vez mais, acompanhado com o medo de acreditar em tudo isso e me arrepender ou querer sempre mais. Minhas opiniões incompletas tomam conta da minha cabeça me deixando afundar na incerteza, novamente a confusão me toma como um todo, e de novo vejo a resposta fugindo de mim. Será que preciso encarar tudo sabendo que corro o risco de cair em ilusão? Ou devo tentar fugir mais ainda vendo que estou sendo completamente imprudente? Respostas? Vem junto com a conseqüência. Conseqüência? Posso estar vivendo ela. Acredito na minha força mas ela não acredita em mim, quero tomar uma atitude, mas minha mente não escuta o que o coração grita. O que me resta é outra vez deixar que a verdade me leve, e a conseqüência que se dane. Preciso sair desse medo incompleto.

Existe amor.

Nada, não existe nada, que não vá passar. Não há dor que não cure. Não há mal que não acabe. Não há perfeição olhando de perto. Não se engane, o mundo não é uma maravilha, pelo menos não para quem o vê com extrema profundidade. Não existe amor pra sempre, mas existe amor. Não sei se é o mais bonito, mas é o que temos hoje.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Por mais que as palavras quebrem meu coração(e talvez um outro), elas tem que ser ditas. Isso faz meus olhos se encherem de lágrimas, mas é a mais pura verdade. E verdades nem sempre fazem pessoas felizes. Agora a criança despreocupada tem que parar de se esconder debaixo dos cobertores e tornar-se alguém que vai traçar o próprio caminho. Regular razão e emoção e aceitar que nem tudo é maravilhoso e que corações nunca serão práticos enquanto não forem feitos para não se partirem.

“Eu não sei o que eu to fazendo mas tenho que fazer”

Meu anjo.

Esqueça as assas, esqueça a aureola.
Pense em uma pessoa de carne e osso como outra mais não outra qualquer, pois esse é o meu anjo, aquele que apareceu discretamente com palavras singelas gestos simples, que fora o anjo que me salvou da angustiante dor de viver, viver a vida.
Já estava acostumada com a dor, já havia se tornado algo totalmente indiferente já não mais me importava se iria passar algum dia, mais o anjo chegou e me fez sentir mais dor, a dor de não querer sentir dor, pois eu já me importava com ela agora, eu queria deixá-la ir, queria que o anjo fosse embora, que me deixa se viver com a dor que já havia me acostumado, e que leva se embora a dor que ele haverá trago consigo, mais o anjo não foi embora ele insistia em ficar perto e em esperar, eu simplesmente não entendia o que ele ganhava em me fazer sofrer, mais como pudera ser tão tonta ao ponto de não entender minha própria dor, quando parei para rever o que se passava ao meu redor percebi, a dor antiga era do amor do passado aquela que já não me importava, e que o anjo haverá me curado, e que a nova dor que me angustiava era a dor que me importava e que não pudera me acostumar era a dor do amor, amor que já sentia pelo anjo que me livrara de uma e trouxe outra, e logo me vi apaixonada pelo meu anjo. Agora agradeço por ele ter me feito sofrer, pois não desistiu e felizmente meu anjo esta ao meu lado, não sinto mais nenhuma dor, pois o propósito do anjo era de ficar perto, tão perto ao ponto de roubar minha dor para ele.

infelizmente não são todos os que concordam, e eu acho ridículo alguém reparar mais no tamanho do seu quadril do que no brilho do seu sorriso.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Quando eu era bem pequena, minha mãe me disse que quando chovia era por que Deus estava triste, e precisava chorar. Isso é uma bobagem de fato, mais eu ainda acredito.

Encolhida em uma pequena parte da grama, eu me deitei. Olhando para o céu, as nuvens estavam carregadas, mais tarde iria chover.
Após um tempo, as primeiras gotas começaram a cair, o sol se escondeu entre as nuvens, e eu observava. Não sabia ao certo por que aquilo me chamou atenção, mais eu me interessei.
Eu me recordo, naquele dia o céu estava escuro, o vento era gelado e a única coisa que eu ouvia era o som das gotas caindo no chão batido.
No dia seguinte, quando acordei, pude ver um sol brilhando através do vidro da minha janela, seria um dia de sol. Deus estava feliz.

Sem pé nem cabeça, é, eu sei. (:

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Então queres ser escritor? (Bukowski)

se não sai de ti a explodir
apesar de tudo,
não o faças.
a menos que saia sem perguntar do teu
coração da tua cabeça da tua boca
das tuas entranhas,
não o faças.
se tens que estar horas sentado
a olhar para um ecrã de computador
ou curvado sobre a tua
máquina de escrever
procurando as palavras,
não o faças.
se o fazes por dinheiro ou
fama,
não o faças.
se o fazes para teres
mulheres na tua cama,
não o faças.
se tens que te sentar e
reescrever uma e outra vez,
não o faças.
se dá trabalho só pensar em fazê-lo,
não o faças.
se tentas escrever como outros escreveram,
não o faças.
se tens que esperar para que saia de ti
a gritar,
então espera pacientemente.
se nunca sair de ti a gritar,
faz outra coisa.
se tens que o ler primeiro à tua mulher
ou namorada ou namorado
ou pais ou a quem quer que seja,
não estás preparado.
não sejas como muitos escritores,
não sejas como milhares de
pessoas que se consideram escritores,
não sejas chato nem aborrecido e
pedante, não te consumas com auto-
-devoção.
as bibliotecas de todo o mundo têm
bocejado até
adormecer
com os da tua espécie.
não sejas mais um.
não o faças.
a menos que saia da
tua alma como um míssil,
a menos que o estar parado
te leve à loucura ou
ao suicídio ou homicídio,
não o faças.
a menos que o sol dentro de ti
te queime as tripas,
não o faças.
quando chegar mesmo a altura,
e se foste escolhido,
vai acontecer
por si só e continuará a acontecer
até que tu morras ou morra em ti.
não há outra alternativa
e nunca houve.

Tradução de Manuel A. Domingos

___


Achei algo interessante de ser compartilhado.

Aliás, me encontrei e me perdi várias vezes neste texto.

Ademais, creio que seja algo temporário. Assim que me livrar dos meus fantasmas que me drenam todo o ânimo, dou minha palavra que volto a povoar isto aqui com as minhas mais caprichadas lamúrias.
Palavras ditas, textos escritos, lágrimas derramadas e aquele mesmo sentimento de angustia prevalece. Chega a ser interessante como é difícil para mim expressar meus sentimentos, como é difícil me descrever, como cada palavra que escrevo sobre mim se confundi com o que sinto, o que sou, com o que devo ou não fazer. Me sinto perdida dentro de mim mesma, procurando desesperadamente uma forma de me encontrar, na maioria das vezes me sinto tão cansada de procurar-me internamente, que acabo pedindo para outras pessoas fazerem isso por mim, cumprir um dever que é exclusivamente meu. Mas vou seguindo o externo caminho desconhecido, sombrio e envolvente. Só espero não confundir o interno com o externo e me perdendo ainda mais dentro desse mundo que parece não fazer parte de mim, ou talvez o mundo que eu pareço não fazer parte, mas isso é outra coisa que preciso descobrir.

Dispenso o que você não fez.

Vejo-me novamente perdida nessas palavras falsas. Por que você sabe exatamente quando eu preciso de ilusão? Mas será bom? Vamos me diga que me odeia e que prefere todos menos eu, e não vamos cometer os erros que cometemos no passado. Eu sei que posso passar por isso sozinha, não tenha pena nem se aproxime. Tive você uma vez, e achei que fosse pra sempre, mas nem ao menos o sentimento transmitido por mim era verdadeiro.
Somos como marionetes que a vida acha que pode juntar.
Não adianta vim insistir. Mesmo que eu precise olhar em seus olhos, eu realmente não quero.
Acabe por aqui seu estúpido discurso de destino, e só peço que siga o seu caminho asfaltado, que eu já me acostumei com meu caminho esburacado.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Eu te amo, descance em paz.

“Acho que você se esqueceu de quando me prometeu que iria ficar comigo para sempre. A única coisa que você não cumpriu, foi essa. Quando você me disse que iria me fazer feliz; me fez. Quando você me disse que não iria me deixar chorar; não deixou. Porque justo essa você não tinha que cumprir? Não sabe a dor que me causou?
Sei que não posso fazer nada para mudar o tempo; dessa vez não tem volta. Eu só queria ter… prestado mais atenção. Teria eu percebido os sinais? Ou seria eu cega mesmo?
Eu só sinto muito, e espero que não se incomode com as lágrimas que eu deixei cair enquanto escrevia isso (eu tentei segurá-las, juro!). Mas antes de me despedir, queria só deixar registrado o que você me disse no hospital: ‘um dia agente vai se encontrar, você vai ver. Não se preocupe comigo, eu vou ficar bem. Agora só quero que pense na sua felicidade, e em como você me fez feliz. E nunca, jamais, se esqueça que eu to amo, sempre te amei, e sempre te amarei.’ E dizer que eu acredito em você.
Eu te amo, descanse em paz”


Achei que aquela carta estava boa o suficiente para ser entregue à um morto. Caminhei pesadamente até o cemitério, onde estava acontecendo o enterro. O vento de outono batia e bagunçava meus cabelos. As folhas estalavam enquanto eu ia pisando nelas. Eu respirava fundo. Ele podia ter… me deixado - eu ainda não suportava dizer a palavra “morrido” -, mas eu me sentia… bem. Ele só me deixou de corpo, sua alma, espírito e amor sempre estariam juntos comigo.

Passos desajeitados

Nesses meus passos desajeitados tentei resolver os enigmas de tudo. Tentei com todas minhas forças ser o melhor em algo, porém nunca consegui e hoje me parece tão bobo. Errei de forma estupenda, e de momentos em momentos, cometo novamente erros de mesma importância. Danço conforme a música, embora não me alegre muito disso afinal, existem casos que a melodia deve mudar. Gosto de aproveitar meus momentos de tristeza, e até hoje, não sei bem o porque. Não acredito tanto em números, eles são tão limitados. As poucas certezas que acreditava ter acabaram por se mostrar tão duvidáveis quanto a existência de pessoas verdadeiras, e como podem perceber me restou apenas a fé. Aliás, ouvi por ai, que quando não acreditamos em nada acabamos por acreditar em alguma coisa. Na dúvida de fazer ou não, acabo fazendo! Ja que perder tempo pensando em escolher é escolher não fazer. Mas há um limite nas atitudes, esses limites chamam-se princípios. E não acredito ser uma boa escolha traí-los. Amigos são de extrema importância na sua vida, não os troque por uma paixão, pode ser que depois eles não estejam mais ai quando tu perceberes que cometeu um erro de extrema idiotice. Amigos não são cigarros, eles não estão ai para satisfazê-lo por um tempo até que tu decidas apagá-los. Se tu pensas assim, você nunca teve amigos! Não deixe que as circunstâncias façam tu desacreditares, afinal, se elas conseguirem, tu virarás apenas uma estatística. E o mundo não precisa de mais números, já tem o suficiente. Com certeza já ouviram falar que o certo é sempre mais difícil, mas o fácil é tão sem graça. Ele não desperta curiosidade, nem súbita sensação de ansiedade. Por isso o cômodo é tão fácil e tão triste. Seja altruísmo ou não, ajude, o mundo precisa de coletividade, estamos tão individualistas que a indiferença tem trabalho em um golpe discreto para tomar o poder. Nunca me pareceu tão certo dançar como se ninguém estivesse olhando, dar risadas intensas como se ninguém estivesse ouvindo. Você não muda o mundo sozinho e é aí que entram os amigos. Não culpe o mundo pelos teus problemas por que acreditas que o mundo seria melhor se as pessoas te seguissem. Isso é muito individualista. Quando somos individualistas não abrangemos todos os valores e o mundo sabe dos valores que precisa, porém a parceira comodidade esta aí para atrapalhar. Então repito o que muitos pensadores dizem, muda a ti mesmo (e preciso de ajuda nesse ponto). Acredito, então, que lutar por ideais, por regras de boa convivência e ser flexível seja a melhor resposta. A velhice deve ser cheia de vida e de compreensão. Sejamos, então, mais criança, pra poder amar e mais adolescente pra manter vivo o sentimento de mudança.


A todos uma boa sorte.
Você pode olhar pra mim? Sempre finjo um sorriso para que ele não perceba o que eu preciso e tudo que deveríamos ser. Ela deve ser muito bonita. A garota que ele fala com entusiasmo… Ela deve ser realmente muito bonita, deve falar bem e soar como uma princesa. Uma princesa que eu não sou, com um castelo em que eu não moro. Nossa, ele tem um sorriso que é capaz de iluminar uma cidade inteira, ele sabe ser o principe, mas é quase impossível que ele venha em minha direção em seu cavalo branco. Isso aqui não é Inglaterra, e eu não sou a princesa que ele espera. Eu não consigo ver ninguém quando ele está por perto. Ele diz estar tão apaixonado e eu me pergunto se ele sabe, que sou eu quem penso nele toda noite antes de dormir. Ele é a unica razão das lágrimas derramadas em meu caderninho. Ele é a canção que toca dentro do carro e que por alguma razão, eu canto. Ele é o bater das portas, ou a tremedeira do primeiro encontro. Ele é o motivo das borboletas no meu estomago. Quando ele passa por mim… Será que ele percebe que eu não consigo respirar? É melhor essa tal garota abraçá-lo com toda a força, dizer o quanto ama e olhar naqueles olhos perfeitos para saber o quanto ela é sortuda, porque ele… Ele é a razão de todas as minhas lágrimas. Então eu volto pra casa dando uma ultima olhada em sua foto e talvez eu consiga dormir um pouco esta noite. Ele é tudo que eu preciso para amar.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

''Poderíamos casar, com certeza não seriamos aquele padrão de família feliz mas seria bem divertido. Teríamos um apartamento de paredes brancas e muitos quadros. Passaríamos dias deitados vendo filmes e discutindo coisas idiotas. Tomaríamos café da manhã às três da tarde. Brigaríamos pra ver quem ocuparia maior espaço no closet. E eu sempre reclamaria que você demora muito pra decidir as coisas. Ficaríamos de pijama o dia inteiro e um dia no meio da semana sairíamos pra encher a cara em um pub qualquer. Você reclamaria porque eu não gosto de arrumar a cama diariamente e porque eu acabei com o chá verde. Eu discutiria sempre com o cachorro que você insistiu para ter. Sairíamos para andar na chuva e não nos incomodaríamos em voltar encharcados. Eu não admitiria que adoro sua cara de bravo quando você descobre que eu não fechei a porta. Você brigaria comigo quando estivéssemos atrasados, e mesmo assim eu brincaria com os seus cachos no elevador. Você riria sem motivo e não me diria o que era. Nós falaríamos frases ao mesmo tempo. Eu escolheria os filmes e você o sabor da pizza. Nós não dormiríamos abraçados, mas andaríamos de mãos dadas. É, nós poderíamos casar.''

OBS: Desconheço a autoria, mas é um dos textos mais incriveis que já li em toda minha vida.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Parece que coisas ruins acontecem pra nos destruir. Sempre tem algo pra atrapalhar toda aquela sua felicidade quando você está bem, é incrivel. Só os fracos caem. Os inteligentes sabem lidar com qualquer situação, e acho que me encaixo nisso. Pelo menos eu tento, sei que sempre tento. Eu tento ser o melhor pras pessoas e dar o melhor de mim. Acho que o sentido da vida é vivê-la sem temer o amanhã, e fazer de tudo pra que momentos sejam duradouros e inesquecíveis. Tiro os erros como acertos. É, porque amanhã não vou cometê-los outra vez. Sigo em frente e tento ver um significado em tudo o que olho e em todas as coisas que acontecem. O mundo é bem assim, mas infelizmente ainda há alguns seres humanos que se esquecem.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Saberei que não te amo quando eu não pensar mais em você antes de adormecer, saberei que não te amo quando colocar meus olhos nos seus e meu coração permanecer perfeitamente estável, saberei que não te amo quando não houver mais poemas amassados pelo chão, saberei que não te amo quando os pingos da chuva não soarem como a melodia das minhas lagrimas, saberei que não te amo quando a tinta da minha caneta parar de correr como sangue pelo papel branco, saberei que não te amo quando a ferida de meu coração estiver cicatrizada, saberei que não te amo quando as cordas de meu violão não vibrarem acordes de minhas tristes canções, saberei que não te amo quando meus versos se calarem, saberei que não te amo quando seu sorriso não for mais minha inspiração para contar estrelas, saberei que não te amo quando eu perceber que nada tem um sentido, e nada mais faz sentido sem você.


Por favor, perceba, que com isso você cria cicratises em meu coração, que são impossiveis, de se apagar com o tempo, venha para mim, venha para meus braços, lhe prometo amor esterno, lhe prometo te amar mais que minha propria vida, venha meu amor.

sábado, 26 de junho de 2010

"As pessoas que detêm o controle e o poder, o sistema de classes de todo cenário burguês de merda ainda são as mesmas.
A única diferença fica por conta de um monte de garotos cabeludos de classe média, que andam em Londres com suas calças velhas.
Mas além disso, nada mais aconteceu depois de termos nos despido.Os mesmo desgraçados detêm o controle, as mesmas pessoas administram tudo, é a mesmice.Eles tapearam as crianças e toda uma geração.Nós crescemos um pouco, todos nós, e houve uma mudança que nos tornou um pouco mais livres, mas o jogo ainda é o mesmo, nada mudou de verdade.Eles continuam fazendo as mesmas coisas, vendendo armas para a África do Sul, matando os negros nas ruas, as pessoas vivendo na maior pobreza, com ratos por cima, é tudo a mesma coisa.É de deixar qualquer um puto!E eu acordei para isso também.O sonho acabou.O jogo ainda é o mesmo, só que agora eu tenho trinta anos e um monte de gente usa cabelo comprido, é só isso". (John Lennon)

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Recolhi meu corpo, apertando meus braços o mais forte que eu podia em volta de minhas pernas dobradas. Senti meus olhos queimarem, enquanto eu segurava o máximo que eu podia minhas lágrimas. Mas elas caíram, como sempre faziam, e seguiram o tão conhecido percurso pelo meu corpo. Cada vez que ela tocava uma pequena parte de meu rosto seco, uma forte dor alojada em meu organismo por tanto tempo, ia aparecendo e me matando lentamente, me queimando em carne viva. Sentia-me humilhada, por tudo. Pela vida, pelos amigos, que sempre provavam serem melhores que eu, e por mim mesma. Eu me afogava cada vez mais, em uma ilusão, em uma dor permanente e na minha própria covardia. Apertei ainda mais meu tronco contra minhas pernas, e deixei que as lágrimas cedessem, para que eu pudesse voltar a viver. Voltar a respirar, como eu sempre fazia. Eu não vivia, eu fingia viver. Porque tudo era uma dor, era uma decepção. Tudo era uma falsa tentativa de ser feliz, e reestruturar tudo que estava desfeito. Tudo era uma merda de uma falsa tentativa.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Mineira. Futura Jornalista e humorista. Cruzeirense. Escritora bêbada nas horas vagas. Dramática. Irritante. Descendente de espanhóis, os quais me deram um sangue que ferve nervoso. De africanos, que me deram todo um gingado e nem um pouco de melanina na pele. E talvez de ingleses, que podem ter me dado qualquer coisa, menos a pontualidade. (tá isso não é verdade). Mas, mudando de assunto, uma das coisas que eu quero é um dia ter netos, para torná-los uns capetas, e não ter responsabilidade nenhuma sobre isso. Não consigo me concentrar no mesmo assunto por muito tempo, nem em relacionamentos. É bizarro, mas é verdade. Eu nunca comi berinjela. É bizarro, mas também é verdade. Já morei em vários cantos dessa porra chamada Brasil (tá isso também não é verdade, é só pra da uma ênfase na leitura). Já o fato de as pessoas acreditarem no BBB, hoje em dia nem é mais tão bizarro, mas verdade com certeza não é. Sou fã de carteirinha de todas as teorias da conspiração, nova ordem mundial, e acho que os alienígenas são exatamente iguais a nós. Não sou nada patriota, quando jurei à bandeira fiz de conta que falei aquelas coisas de morrer pelo país, mas não falei honestamente eu estava recitando a dança do creu, mas ninguém percebeu e todos acharam que eu realmente decidi morrer pelo país. A Irlanda é uma terra mágica de sonhos, mas quando você chega lá o sonho acaba. Nada de pote de ouro no final do arco-íris. Tudo acaba um dia, e às vezes isso é ruim. Mas às vezes, isso é bom. Como esse texto, que é comprido, inútil, cheio de coisas sem sentido e mentirosas que não revela nada de importante, enfim, ele também acaba. Acaba aqui.                    ou aqui, tanto faz. Como você preferir.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Ao Kléber,

Prazer Kléber, Meu nome é Cruzeiro.
De um Gladiador a um covarde, o herói das guerras se transforma na possível vitima de uma fantasia que o mesmo criou. Você Kléber, foi ao longo do ano, incontestável no Cruzeiro, era proibido gerar comentários negativos contra suas atuações, mesmo que realmente elas não tivessem sido de maneira convincente, como algumas vezes aconteceu. Um amor platônico pelo nosso “Inimigo-irmão” Palestra de São Paulo e uma demonstração falsa de afeto por uma torcida e um clube que sempre blindou suas atitudes. É Kleber você poderia ter feito mais, poderia ter sido mais, ficará marcado assim como tantos outros, como um jogador que nada conseguiu que nada conquistou e que nada deverá ser, tomara que suas atitudes sirvam lhe para alguma coisa produtiva, quem sou eu para desejar mal a alguma pessoa, futebol é claro que você tem, cabeça e hombridade é que é duvidoso, saiu inventando noticias a todo o momento na imprensa paulista e negava na nossa local, arrumava problemas internos com o próprio elenco e jurava amor ao clube que lhe deu uma chance que seu “amor platônico” não deu, DEVERIA ESTAR MESMO ERA NO FRIO DA UCRANIA seu ingrato, não em uma cidade harmoniosa, receptiva e principalmente no MELHOR TIME DO SÉCULO XX dentre nossas fronteiras. Cruzeiro está na historia desde 1921, com jogadores renomados para a nossa Seleção e principalmente para o mundo, de Raul, Piazza, Tostão e Dirceu Lopes ao esquadrão de 74, com Zé Carlos, Evaldo, Palhinha, Joãozinho e Batata, do retorno triunfal na década de 90 de Ronaldo, Dida, Nonato, Adilson e Wilson Gottardo, da inesquecível Tríplice Coroa de 2003 de Alex e companhia ltda. Esse é o Cruzeiro, que mesmo fora do eixo do mal, domina as listas de possíveis campeões do país, que tem uma estrutura invejável e que como poucos pagam sagradamente em dia e não precisa de patrocinador para bancar, de inúmeras conquistas nacionais e internacionais, de uma INSTITUIÇÃO que apresenta na América sempre como um time competitivo e disciplinado, equipes
tradicionalmente caracterizadas pela técnica e uma torcida exigente que cobra e apóia na mesma intensidade. Hoje ao ver você fazer força para sair, me da nojo e certo tom de felicidade, a primeira por existir profissionais iguais a você, que mesmo com a sua qualidade que em nenhum momento irei negar, consegue ser tão egoísta, hipócrita e principalmente covarde, e já a segunda é pelo fato de nós torcedores averiguarmos isso a tempo e cobrar explicações, não aquela “fantasiada” que aconteceu há dois dias, mas aquela de quarta, aquela de ontem e aqui hoje me faz escrever, me sinto feliz por saber que você não vai durar aqui, fico feliz em saber que abrirá espaço para algum jogador, que assim como tantos nesses sete milhões de torcedores sonharam a vestir nossa camisa, a lutar por nossas cores e a realmente respeitar O MAIOR DE MINAS. VOCÊ SE ARREPENDE DE TANTAS COISAS AGORA, eu me arrependo de tantas outras, arrependo por tantas vezes que poderia ter ficado calado e não fiquei, por tantas vezes que quis estar no seu lugar e não me dediquei para isso, por tantas vezes que poderia estar na minha casa no calor da minha família, da minha namorada e dos meus amigos e fui ao campo ver um ARREPENDIDO JOGAR, um arrependido que ao fazer gols se lembrava do “irmão-inimigo” que pouco fez por ele quando mais precisou de um arrependido que se intitula autêntico, determinado e fiel com suas palavras, enquanto na verdade é tudo ao contrário, você DEVERIA SE ARREPENDER era de em algum momento ter falado que respeitava e admirava essa torcida e essa instituição, de se posicionar como UM LIDER E UM IDOLO QUE NUNCA FOI, você realmente deveria se arrepender era ter vindo, PORQUE EU KLÉBER, ME ARREPENDO DE SUA CHEGADA AO NOSSO IMENSO E AMADO CRUZEIRO.Prazer Kleber, meu nome é Cruzeiro, tenho 88 anos e tenho do que você tem de arrogância, o dobro de conquistas, o triplo de história e o quíntuplo de seguidores.

Diego Caldeira Magalhães 'Pato'

Saudações Celestes!

Só por te amar !

Agora eu tenho certeza, agora eu tenho a absoluta certeza, tudo não passou de um sonho. Tanto tempo de espera, tanto sofrimento, tanto amor que tinha para te dar , tanta coisa que ainda tenho pra falar .. Acabou, acabou tudo. Logo agora que eu tinha tudo escrito em minha mente , logo agora que eu estava pronta pra te falar : ‘’ Será! Do jeito que você quiser, assim será, mesmo que toda vida.Tenha que espera, ficarei guardado Neste sentimento, por tanto eu te amar.’’ e agora você se foi , e o meu sentimento , o meu amor por você ainda ficou . Ficou me atormentando todas as noites, todas as vezes que eu estava alegre , todas as vezes que queria te esquecer , e o seu amor ficou bem aqui comigo sempre me lembrando que esperei ato a , que esperei só para ter certeza que eu nunca irei ter você . o seu amor ficou e ficará sempre comigo só por te amar . O meu sofrimento ficou e ficara aqui dentro de mim ate você voltar .
Bom, eu e a pri estamos com um novo blog, ele é legal se chama YOU THINK KNOW? THIN AGAIIN. Mas eu não vou deixar esse de lado, resolvemos fazer um para nós duas,  porque nois que e é isso manolo KDFOKDOFKDFO, não, não é isso, quer dizer é isso, mas não é só isso, a gente se conheçe a um ano, e temos varias coisas em comuns, e então achamos que seria legal, ter um blog nosso, lá nós vamos postar coisas que fazemos, que gostamos, que não gostamos, vamos postar tudo, então seria legal, se alguma alma viva lê essa merda de blog, lê lá tbm. *-*

http://when-the-world-comesdown.blogspot.com/  (:

Amor - Força.

Durante uma reflexão bem besta sobre amor e afins cheguei a uma conclusão. Talvez tu me chames de idiota por só concluir isso agora. Mas, hey, assim como milhares de pessoas, eu também sofri por amor. Não vou usar como desculpa pra minha ‘lerdeza’, mas enfim.
No meio de um devaneio escutando City and Colour(Não escutem. Sou ciumenta. Não quero NINGUÉM escutando ele. Sério) me deparei pensando ‘Porque sempre digo que quem ama é fraco?’. Isto é. A pessoa NÃO é fraca por amar. Olha só. Ela muda suas manias, seus defeitos, seus pensamentos, pra não dizer que vira uma pessoa totalmente diferente. E porque tudo isso? Por amor. Por amar. E pra mudar é preciso uma BAITA força. E o melhor, ela muda sem ter certeza que vai dar certo. Isso que é incrível. Sem ter nenhuma garantia que vá dar certo, que tu vais ganhar algo, tu mudas. Isso me impressiona. Tu não ages racionalmente. Mas quem disse que isso é errado? Não to julgando, só estou impressionada.
Mas voltando ao assunto principal. Quem ama é muito forte. Não fraco, como eu defendia em tempos atrás. Me diz, tu em teu estado racional, mudaria por alguém sem ter garantia de nada? Não! Não venhas me dizer que mudas, porque não mudas. Tu não mudas nem por ti, vai mudar por outro?
Mas quando tu estás cego, vulgo apaixonado, tu mudas. Muda tudo só pra outra parte te aceitar. Viu, começamos errados já. Mudamos pra ser aceitos. Não existe mais aquilo de ser eu mesmo e cativar as pessoas por isso? Acho que isso explica porque minha vida amorosa é tão desastrada assim, mas isso eu deixo pra outro parágrafo. Voltando ao mudar. Tu te transformas numa pessoa que não é pra agradar uma, que tu nem sabes se vai te querer. Nossa, é preciso força pra isso. E vamos dizer que ela te aceite. Okey, ela aceitou uma pessoa que tu criaste pra agrada lá. Então, tu vais tentando mostrar quem tu realmente és, aos poucos, pra não estragar tua MASCARA. E então a pessoa continua te aceitando, e até gostando mais de ti. E lá vai tua força pra não estragar tudo, cuidando pra não deixar teus defeitos prevalecerem tuas qualidades.
Então vem a briga. E tu mudas de novo, só pra não perder a pessoa que amas. E Acredite a pessoa em questão também muda. Não te julgues, ou culpes, por isso. É absolutamente normal. E tudo fica bem. Tu só vai conhecer bem a pessoa que tu amas depois de ANOS de convivência com ela.
Tu também és forte por que, quando acaba tu ficas mal. E desde o inicio tu sabia que iria acabar um dia, e mesmo assim mudou, enfrentou e tentou. E tu és MUITO forte por isso. Não se sinta mal por ter acabado. A culpa não é tua. Tu te esforçaste para dar certo, mas não deu. Ponto. Não fique mal. Ou melhor, fique. Tu tens todo direito disso. Tu foste forte por um período de tempo, agora aproveita e se joga na fossa. Tu podes fazer isso.
Quem ama não é fraco. Quem foge do amor é fraco. Quem foge de amar, é por que não consegue mudar. Não estou julgando essas pessoas. Elas simplesmente não querem correr o risco da mudança. Mas que elas são fracas, ah isso sim. Ficam com vários, quebram o coração de vários. E isso pra que? Aumentar o ego.
E por mais que vocês não tenham me perguntado, eu vou responder.
Não faço parte de nenhuma dessas classificações. O que eu sou? Pode não fazer nenhum sentido pra ti, mas eu sou uma raposa, esperando pra ser cativada.

Por favor… Cativa-me?

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Nunca me amou.

Eu sei que vai te causar uma imensa dor quando ler cada palavra, mas tenho que lhe dizer.




Não há nada mais para se falar. Você fez as suas escolhas, te dei todas as chances que alguém poderia oferecer. Mas você não quis. Talvez, não se importe tanto assim. Sei reconhecer o que fez por mim, me ajudou quando eu mais precisei… E agora, me abandonou quando eu mais preciso. Serei grata à você, pois jamais pretendo ter ingratidão com alguém que já me fez feliz. E por ter me deixado… Ah, eu só desejo o seu bem. Não espero que um dia você sofra o que eu estou sofrendo hoje. É lamentável. Essa é a palavra para descrever o que é hoje o nosso amor, ou melhor, o que foi o nosso amor. Quanta perda… Quanto desperdício! É só isso que eu consigo imaginar hoje de nós duas. Perda, desperdício… De uma amizade que eu desejava viver, mas eu sempre me pergunto: por que me prometeu uma coisa que sempre soube que nunca poderia cumprir? Você prometeu que nunca que abandonaria que nunca ia me trocar por ninguém e que ia me amar eternamente, para sempre. Não foi assim que você fez você jogou tudo pro alto como se não se importasse com mais nada e como se estivesse cansada e enjoada de tudo, como se não me agüentasse mais. Foi assim que você fez. Preferiria nunca ter ouvido um “te amo” da sua boca. Sabe por quê? A verdade é que você nunca que me amou.